Dia de Bará e Santo Antônio

Em homenagem ao Dia de Bará e Santo Antônio, comemorado no dia 13 de junho, a Federação Afro Umbandista e Espiritualista do Rio Grande do Sul (Fauers), em parceria com a Diretoria das Políticas das Diversidades e Comunidades Tradicionais da Prefeitura de Canoas, promoveu uma série de atividades no Calçadão de Canoas. Durante todo o dia, foram expostas as imagens de Bará e Santo Antônio, o que atraiu mais de mil pessoas ao local, que ainda puderam fazer pedidos e pegar material informativo referente ao sincretismo e cartilhas sobre oferenda ecológica.

O diretor das Políticas das Diversidades e Comunidades Tradicionais, Saulo Gil, afirma que o evento atingiu o objetivo de levar conhecimento e respeito sobre as religiões, combatendo a intolerância religiosa no município. “O que chamou a atenção é que tivemos muitas demonstrações de fé durante todo o dia em frente às imagens, com orações, pedidos e agradecimentos. Essa atividade vem ao encontro do sincretismo, que mostra a diversidade cultural e religiosa de Canoas”, explica.

O presidente da Fauers, Everton Alfonsin, também destaca o sucesso do evento: “entregamos mais de mil calendários da Fauers e recebemos muitos pedidos para Bará, que é o orixá da rua, da proteção, da defesa e que abre os caminhos. Também tivemos muitas orações e pedidos de casamento para Santo Antônio, o que demonstra que o evento conseguiu atingir os mais variados públicos, independente da opção religiosa”.

Bará e Santo Antônio

O Orixá Bará é o Princípio de Movimento e Interligação, é também o mensageiro dos Orixás. Bará pode ser o mais benevolente dos Orixás se é tratado com consideração e generosidade. Ele é dono das chaves dos portais, encruzilhadas e caminhos. Suas saudações, obrigações e cortes, devem sempre ser feitos em primeiro lugar.

Já Santo Antônio foi um doutor da Igreja Católica que viveu na viragem dos séculos XII e XIII. Tornou-se franciscano em 1220 e viveu, inicialmente, em Portugal, depois na Itália e na França, retornando posteriormente à Itália, onde encerrou sua carreira. Foi canonizado pela Igreja Católica pouco depois de falecer, distinguindo-se como teólogo, místico, asceta e, sobretudo, como notável orador e grande taumaturgo. Antônio é também tido como um dos intelectuais mais notáveis de Portugal do período pré-universitário.

 

Créditos: Matéria Assessoria de Comunicação Prefeitura de Canoas.

Foto: Vinicius Thormann ( Prefeitura de Canoas )